Título: Abraham Lincoln - Caçador de Vampiros
Autor: Seth Grahame-Smith
Ano: 2010
Número de Páginas: 336
Editora: Instrínseca


Sinopse: Indiana, 1818. Sob o luar que se insinua por entre a densa floresta, uma pequena cabana se destaca. Dentro dela, o pequeno Abraham Lincoln, com apenas nove anos, está ajoelhado ao lado da cama em que a mãe agoniza, acometida do que os antigos chamavam de "doença do leite"."Meu pequeno bebê...", sussurra ela antes de morrer. Anos mais tarde, o magoado Abe descobriria que o mal que vitimou sua mãe foi, na realidade, obra de um vampiro.
Então, quando a verdade se revela ao jovem Lincoln, ele registra em seu diário: "(...) minha vida será rigorozamente [sic] estudar e me dedicar. Aprenderei tudo. Tornarei-me [sic] um guerreiro maior que Alexandre. Minha vida terá um único propósito." Dotado de impressionantes altura, força e habilidade com a machadinha, Abe traça um plano de vingança que acabará por levá-lo à Casa Branca.
Seth Grahame-Smith reconstitui a história real do maior presidente da história norte-americana e desvenda todos os segredos da Guerra de Secessão, além de revelar o papel crucial que os vampiros desempenharam no nascimento, na ascensão e no (quase) declínio dos Estados Unidos.

Minha Opinião: Eu não tinha lido nenhum livro anterior do Seth Grahame-Smith (como Orgulho, Preconceito e Zumbis) e confesso que tinha um pouco de receio com o que ele poderia fazer ao misturar histórias reais com ficção. Meu receio simplesmente desapareceu no momento em que pus as mãos no exemplar de Abraham Lincoln - Caçador de Vampiros. Primeiro, por se tratar de fatos reais e fictícios de um dos mais marcantes presidentes dos Estados Unidos. Segundo, pela capa e contra-capa.
Um detalhe super interessante (e que eu cheguei até a fazer suspense no post que fiz quando o livro chegou) é que a ousadia de colocar na capa Lincoln sujo de sangue segurando um machado atrás das costas e na contra-capa ter essa mesma foto, sendo que vista de costas e com Lincoln segurando a cabeça de um vampiro, é sensacional. (Okay, eu curto vampiros então um pouquinho de sangue não me faria mal... hehehe)
A capa tem vários pontos manchados de 'sangue' e até o logotipo da Intrínseca ficou personalizado! Muito bom!

Mas vamos à história. Sobre quem foi Abraham Lincoln eu sabia o mínimo, confesso, e depois de ler esse livro achei que só pela história de vida dele já valheria a pena. Seth soube misturar ficção e realidade de uma forma tão inteligente que até agora ainda tenho minhas dúvidas se vampiros de fato existiram na Casa Branca. =P
O livro é dividido em 3 partes, onde acompanhamos a vida de Lincoln fielmente desde menino até se tornar o Presidente dos Estados Unidos, como se fosse realmente uma biografia. Algumas imagens, modificadas no Photoshop, mas que realmente existiram (eu pesquisei no Google hehehe) servem para dar um toque ainda mais realista à história.
A história começa com Seth Grahame-Smith (ele mesmo, o autor, participando como se fosse um personagem) trabalhando nos dias atuais em um pequeno mercadinho, como balconista. Ele recebe poucos clientes e dentre eles um se destaca mais que os outros. Esse cliente rico e extremamente misterioso, se chama Henry e em um certo dia ele entrega a Seth um pacote e uma carta fazendo-o prometer que irá escrever um livro sobre tudo o que descobrir. Seth fica desconfiado, mas resolve ler a carta e abrir o pacote mesmo assim. Ali, ele descobre que em suas mãos está nada mais nada menos que os diversos diários pessoais de Abraham Lincoln, datados de muitos anos atrás.
É aí que começa tudo. Seth nos introduz a um mundo onde Abe, como Abraham era chamado, era apenas um jovem que descobre que sua mãe e parte de sua família foram mortos por um vampiro. Mesmo sendo muito pobre e vivendo apenas com o pai que não lhe dá mais atenção, Abe jura vingança contra todos os vampiros da américa e começa sua caçada para exterminá-los um por um.
"Algumas pessoas são interessantes demais para morrer, Abraham", disse ele, ficando de pé. Pegou de volta o casaco e o chapéu e foi embora em direção à porta, em direção aos três guardas aflitos, que tinham o coração batendo ainda mais acelerado que o meu.
Abe sai em busca de trabalho e aventuras, encontrando vampiros pelo caminho e os exterminando mesmo sem saber nada sobre seus costumes ou superstições. Até que ele conhece Henry e este salva a sua vida. O que ele não esperava era que Henry também era um vampiro, ou seja, um de seus inimigos. Eles acabam aprendendo muito um com o outro e se tornam até amigos, Abe se tornando muito mais experiente e mortal com seu novo conhecimento. Henry se torna um personagem essencial e em grande parte da história, ele escreve cartas para Abe indicando vampiros que ele deve caçar, pois como ele mesmo diz em uma parte da história:
"Não julgue que somos todos iguais, Abraham. Talvez todos mereçamos ir para o inferno, mas alguns merecem ir antes dos outros".
Ao longo da narrativa, percebemos que o autor intercala entre ficção e trechos com partes do diário de Lincoln. A formatação é diferente e é possível comparar o que é ficção e o que realmente aconteceu na vida de Abe. Durante toda a sua vida ele sofre várias perdas de filhos, esposas e entes queridos. Ele amarga fracassos na carreira e ainda assim consegue ter forças para chegar onde chegou. Isso não foi ficção, foi real, e achei muito interessante o autor contar tudo isso de uma forma tão genial. A inclusão de vampiros no meio disso tudo foi ainda mais brilhante e serviu para deixar a história ainda mais brilhante.

A história inventada sobre o real motivo por trás da Guerra da Secessão chamou tanto a atenção que irá parar em breve nas telas de cinema com produção de Tim Burton e parceria de Timur Bekmambetov. Para interpretar o décimo-sexto presidente dos Estados Unidos e protagonista dessa história foi contratado o ator Benjamin Walker.
As filmagens começarão em março deste ano. Abraham Lincoln: Vampire Hunter tem orçamento de 69 milhões de dólares e lançamento previsto para 22 de junho de 2012, em 3D.


Compre agora!


Nível do vício: 

11 Comentários

  1. "Não julgue que somos todos iguais, Abraham. Talvez todos mereçamos ir para o inferno, mas alguns merecem ir antes dos outros".

    Kra vc tá me convencendo a pedir esse livro, viu? Parece ser realmente mt bom. Será q finalmente irei gostar do autor depois do fiasco de OPZ???
    A resenha ficou gigantesca, mas perfeita, Michelle!!! Parabéns

    ResponderExcluir
  2. Estava eu hoje na livraria qdo vi essa capa de livro e título que me chamaram muiiita a minha atenção, fui ler a sinopse e simplesmente fiquei louca por esse livro.
    Cheguei em casa e fui procurar resenhas e achei a sua.... eu simplesmente confirmei a minha urgencia em comprar e ler esse livro.
    adorei a sua resenha e só me fizeram ter a certeza de que quero muiiito ler esse filme.
    Obrigada

    ResponderExcluir
  3. Nossa, essa capa chama a atenção mesmo! haha
    parece ser muito interessante esse livro, deu vontade de ler :)

    Seu blog está ótimo! Eu sou nova aqui no mundo das blogueiras leitoras e queria que você desse uma passada no meu blog e desse sua opinião :)

    Obrigada,

    ResponderExcluir
  4. Amei a frase que a Karina citou (muito boa)
    Eu sinceramente não gosto desse tipo de livro. (sem paciência) hehe
    Mas sua resenha ficou ótima!
    E sim, gostei da capa!

    Beijão

    ResponderExcluir
  5. A capa chama muito a atenção, e a contra-capa mais ainda. Mas não me interessei muito pelo livro. Acho que misturar ficção com realidade é uma ótima ideia, mas a história de Abraham Lincoln está muito longe da minha realidade.

    ResponderExcluir
  6. A capa é linda, ela me chama.
    Eu quero muito ler, so falta o dindin.
    beijos.

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito da sua resenha. Já tinha visto o livro nas livrarias, mas você acaba de me convencer a comprar. Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  8. Não é por nada não mas li uma resenha praticamente igual a essa no Dear Book, parece que mudou apenas algumas palavras...
    Era melhor escrever menos, sem se basear em outras resenhas... fica a dica...

    http://www.dear-book.net/2011/02/resenha-abraham-lincoln-cacador-de.html

    ResponderExcluir
  9. Luciana, só queria deixar claro que todas as resenhas que faço escrevo com tudo o que me vem a cabeça, não simplesmente 'copio de outra' e mudo as palavras. Tenho coinciência de que plágio é ilegal e procuro nunca fazer isso. Se minha resenha ficou parecida com outra, infelizmente não posso fazer nada. Eu sempre gostei de escrever e por isso todas as minhas resenhas desde o início do blog são grandes e explicativas. Mas mesmo assim, obrigada pela dica. Li a outra resenha e realmente tem pontos parecidos, mas acredito que tenha sido uma infeliz coincidência.

    Bjus

    ResponderExcluir
  10. Luciana, esta é uma acusação muito séria. Portanto, antes de falar algo assim, pense um pouco, reflita antes de acabar se complicando. Não acredito que a Michelle tenha copiado nada de ninguém, até porque ela já passou por isso, e não acha justo que alguém faço o mesmo com ela. Eu li as duas resenhas e posso dizer que o que houve foi uma resenha parecida com a outra pelo simples fato de falarem do mesmo livro. Pode ver que a opinião de ambas não são iguais, pois são ponto de vistas diferentes.

    ResponderExcluir